Blog

16 . NOVEMBRO . 2016

8 filmes que todo apaixonado por jornalismo deveria assistir

É muito interessante ver a nossa profissão representada nos cinemas, não é mesmo? Tem aqueles filmes que provocam reflexões sobre questões do cotidiano, os que relembram fatos que aconteceram na história e também os que são pura ficção. Seja para refletir, intensificar a sua admiração pelo papel do jornalista na sociedade ou apenas se distrair, excelentes filmes para assistir é o que não falta. Se eu fosse listar aqui todos, a lista seria enorme! Por essa razão, decidi selecionar os que mais gostei de todos os tempos (os queridinhos) e que considero que toda (o) apaixonada (o) por jornalismo precisa assistir. Confira já e aperta o play: 

1.Spotlight – Segredos Revelados (2015)

Este é o mais recente da lista e foi muito aclamado pela crítica. Não atoa, além de abordar um tema espinhoso, o filme reuniu um elenco que brilhou na interpretação. A produção é baseada em fatos reais e faz de certa maneira uma homenagem ao jornalismo investigativo. Na trama, um grupo de jornalistas descobre documentos que provam uma rede de pedofilia numa Igreja Católica de Boston que eram encobertos até então pela igreja. O filme conta com a participação de atores estrelados, como Rachel McAdams, Michael Keaton, Mark Ruffalo, Brian d'Arcy James, entre outros.

2. Frost/ Nixon (2006)

Eu adoro este filme, não apenas por nos trazer um registro da história, mas também pela maneira que tudo ocorreu. Além disso, é um filme de diálogos inteligentes e atuações excelentes. Richard Nixon (Frank Langella) permaneceu em silêncio por três anos após renunciar à presidência dos Estados Unidos. Somente em 1977 ele concordou em dar uma entrevista, visando esclarecer pontos obscuros do período em que esteve no governo e usá-la para uma possível volta à política. O entrevistador escolhido do programa foi o jovem David Frost (Michael Sheen), o que fazia com que Nixon acreditasse que seria mais fácil. Entretanto, ao ser entrevistado por Frost é que a verdade escondida começa aparecer sob as lentes das câmeras, o que resultou em um confronto assistido por 45 milhões de pessoas.

3. A Vida de David Gale (2003)

O quanto um jornalista pode se manter afastado emocionalmente das histórias sobre as quais escreve? Esta é uma das muitas perguntas deixadas por este filme. David Gale (Kevin Spacey) é um homem correto que em circunstâncias inusitadas é condenado à pena de morte pelo estupro e assassinato de sua colega ativista Constance Hallaway (Laura Linney). Gale é um pai de família e professor respeitado, conhecido por sua oposição justamente a este tipo de punição. Três dias antes de sua execução, ele concorda em dar uma entrevista exclusiva para a repórter Elisabeth Bitsey Bloom (Kate Winslet).

?

4. Delírios de Consumo de Becky Bloom (2009)

Jornalismo, humor e romance em New York. Esse é um filme leve e divertido para assistir naqueles dias que você quer apenas se distrair um pouco e assistir um filme leve. O filme conta a história de Rebeca (Isla Fisher), ou Becky, uma jornalista consumista e que vive endividada, mas que por ironia do destino, acaba conseguindo um emprego em um jornal de economia. Como jornalista, Becky dá uma aula do que fazer com o dinheiro, mas na vida real, as suas contas não param de aumentar.

5. Cidadão Kane (1941)

Um clássico do cinema e do jornalismo. Considerado um dos melhores filmes de todos os tempos, Cidadão Kane é também um dos mais frequentemente recomendados para estudantes e profissionais de jornalismo. O longa traz uma narrativa inovadora para época e conta a história do magnata da comunicação Charles Foster Kane, um americano de origem humilde que alcançou a fama e poder. O filme, baseado na trajetória de vida do milionário Willian Randolph Hearst, traz uma narrativa  repleta de avanços e retrocessos no tempo sem causar confusão ao espectador. Cidadão Kane tem montagem e ritmo alucinante. Suas idas e vindas lembram o funcionamento da mente, o pensamento que busca conexões a todo o momento, em saltos. Assim como a morte de Kane, somente nós, os espectadores sabemos o segredo de Rosebud. Assista e confira.

6. O Informante – The Insider (1999)

Russel Crowe e Al Pacino juntos por si só já merecem nossa atenção. Resumindo um pouco: o filme conta a história de Jeffrey Wigand, cientista e ex-funcionário pesquisador da tabacaria Brown & Williamson, que aceita o convite do jornalista Lowell Bergman, da emissora CBS, para participar do programa 60 minutos,  no qual iria expor a indústria do tabaco. Durante os anos 90, o cigarro estava em alta devido principalmente a forte propaganda e marketing. No entanto,  se criou uma polêmica devido a um estudo sobre algumas substâncias presentes no cigarro que poderiam causar vício (como a nicotina e a amônia). Ai que entra Lowell para convencer Jeffrey a ser seu "informante" e falar  tudo o que sabia sobre o assunto. Logo Jeffrey começa a receber ameaças contra ele e sua família. Ao mesmo tempo, a rede de TV corre o risco de ser processada caso exiba a entrevista.

7.Confidencial (Infamous – 2006)

Confidencial é um excelente filme, que teve a má sorte de ser lançado um ano depois de outro exatamente sobre a mesma história, estrelado brilhantemente por Philip Seymour Hoffman, ganhador do Oscar no papel de Truman Capote. Embora Confidencial tenha sido feito depois, e sem ganhar as indicações e prêmios do anterior, ele pode ser considerado melhor que o outro em tudo. Principalmente porque, ao contrário de “Capote”, não é apenas uma louvação da genialidade de Truman; destaca as qualidades do escritor, mas é muito mais crítico à figura dele, e ousa mostrar mais claramente a paixão que ele teve pelo assassino da família da fazenda do Kansas – interpretado, e muito bem, por Daniel Craig. “Capote” e “Confidencial” são brilhantes, cada qual conta com sua constelação de atores e profissionais fora de série.

8. O Preço de uma Verdade (2003)

Este é um drama que tem como tema principal a ética no jornalismo. Stephen Glass é um jovem jornalista que escreve para o jornal The New Republic, de Washington. Seus textos são conhecidos por descreverem histórias inusitadas e interessantes. Tudo vai muito bem até que um colega de profissão, que trabalha em outro jornal, resolve investigar uma de suas reportagens e descobre que todos os fatos publicados foram inventados por Stephen. O filme aborda a questão da falsificação de notícias e as consequências que podem gerar. Um jornalista sem credibilidade tem futuro na profissão? Vale a pena conferir a trama. 

Thaise Saeter

Diretora de Redação